Italiano English Português Français

Palavra e Presença de Deus

A Palavra nos mergulha em uma Presença.

de Rosanna Tabasso

 

Em agosto de 1980, estávamos no Melezet, a poucos quilômetros de Bardonecchia, para uma semana de retiro. Cerca de vinte jovens que pensavam em uma vocação monástica e em famílias, os primeiros da fraternidade. O padre Mario Nascimbeni, um homem de Deus carmelita e apaixonado, que havia nos apresentado a espiritualidade da Palavra há algum tempo, estava conosco. E a Palavra foi o tema do nosso retiro. Nós já estávamos pensando há algum tempo sobre como lê-lo, como orá-lo. Não o conhecíamos, mas sentimos que tínhamos que cavá-lo para encontrar a fonte de água viva. Naqueles dias, o padre Mario nos deu a chave que nos abriu para as Escrituras. Foi uma experiência forte, começando com o cap. 8 do profeta Neemias: antes da assembléia reunida, Esdras e Neemias relembraram as obras de Deus na história da salvação. As pessoas choraram porque, lembrando-se dos acontecimentos do passado, ele sentiu que a mesma graça lhe foi dada naquele momento.

E assim eles voltaram a Deus de todo coração. Também para nós, esses dias foram uma passagem inesquecível do Espírito de Deus através das Escrituras, uma releitura de nosso êxodo, um passo decisivo para se tornar uma Fraternidade de Esperança. “Escute Israel! O Senhor é nosso Deus, o Senhor é um ”(Dt 6) tornou-se um lembrete constante para nós: nunca deixamos a Palavra de Deus, que passou a ser o centro de nossa vida cotidiana, da Fraternidade, da vida dos Arsenale della Pace e os novos arsenais; desde então, todo serviço aberto, toda reunião é de alguma forma o fruto de uma Palavra aceita. Nós desperdiçamos muitas palavras, palavras inúteis, banais, inconclusivas; eles dizem "são apenas palavras" precisamente para sublinhar que não se traduzem em fatos concretos. Em vez disso, a Palavra de Deus é um fato, porque sempre faz o que diz. Não é milagroso, está colocando uma semente em um bom solo, regando-a para crescer e dar frutos a seu tempo. A Palavra não se reconcilia com pressa, pede para ser aceita com fé, com a perseverança e paciência que o agricultor coloca em cuidar da semente, sem desanimar pelo tempo que leva para dar frutos. Sem queimar as etapas, a Palavra acompanha o crescimento do Reino entre aqueles que o recebem, pessoas e comunidades. Até o relacionamento de cada um de nós com Deus Pai, com Jesus Cristo e com o Espírito Santo tornou-se mais íntimo e profundo graças à Palavra.

É da Palavra que aprendemos a entregá-lo a Deus, experimentando que ele sempre está lá. A Palavra se torna carne, a Palavra se torna Presença. É o caminho daqueles que se educam orando à Palavra: a lei calmamente, cuidadosamente, medita, a transforma em oração e, finalmente, que a Palavra inicial revela a Presença de Deus, imperceptível, silenciosa, mas real e eficaz. Era 1990. A Palavra era nosso parceiro de vida, mas como Fraternidade, continuamos a nos perguntar sobre nossa espiritualidade. Como aproveitar ao máximo nossas 24 horas por dia, considerando que a maioria de nós tinha um emprego, estava ocupado de manhã à noite e até o Arsenal, que se tornaria um mosteiro, era uma ruína e exigia que todos trabalhassem, trabalhassem, trabalhassem. Tinha que haver um jeito! Numa noite de terça-feira, durante a oração, pedimos a Don Dario Berruto que nos ajudasse a encontrar uma síntese de nossa espiritualidade. Ele chamou de "espiritualidade da Presença", porque a Palavra continuamente revela Deus para nós em nós, conosco. E de Palavra em Palavra, a consciência de sua Presença muda a qualidade de nossa vida: toda pessoa, todo gesto, todo momento se torna sagrado porque Deus está lá. Educar-nos para lembrá-lo, durante as 24 horas do dia, nos leva ao coração de Deus, traz Deus de volta ao coração do mundo, ao coração da história e restaura a dignidade como uma criatura de Deus para toda pessoa e toda obra de bem.

Questo sito utilizza i cookies. Continuando la navigazione acconsenti al loro impiego. Clicca qui per maggiori dettagli

Ok