Italiano English Português Français

Amados amamos (1/2)

Jesus nos amou primeiro.

de Rosanna Tabasso

 

Uma das páginas da Regra que nos é mais querida tem o título Amati, nós amamos e é a síntese de irmos para o outro, porque Deus veio nos encontrar: “Deus é amor e podemos ser seu reflexo porque são habitados por ele ( ...) Ajoelhamo-nos perante o homem solitário, pobre, sofredor e oprimido, para amá-lo com o coração paternal e maternal de Deus e acompanha-lo, se assim o desejar, para o encontro com seu amor ".


Se experimentamos o amor pessoal de Deus, podemos amar o outro e, assim, dar testemunho do Senhor da nossa vida. É difícil amar verdadeiramente o outro que precisa, que nos pede ajuda, mas amar o outro que nos ignora, que nos rejeita, que parece capaz de viver sem nós, é humanamente impossível. Impossível para nós, mas não para Deus, que nos indica precisamente estes como os mais pobres a se ajoelhar antes. Hoje, muitos pedem ajuda por suas difíceis condições de vida - aqueles que estão desempregados, sem teto, sem cuidados ... - mas talvez essas não sejam as maiores misérias. Ernesto Olivero escreveu: "O homem precisa de casa, comida, educação, trabalho, mas não lhe basta. O homem precisa amar e ser amado, mas mesmo isso não é suficiente para ele. O homem precisa descobrir o sentido da vida. O homem precisa de Deus. "

Hoje, os mais pobres, que desconhecem isso, são as pessoas que descartaram Deus de suas vidas. Eles não sabem disso, mas sentem falta disso e, para eles, podemos ser um reflexo do Deus que eles buscam sem saber. Dias atrás, pedimos a um grupo de jovens que freqüentam o Arsenale della Pace para nos ajudar a anunciar um livro de Ernesto Olivero em uma importante feira. Criamos um folheto colorido e bonito que reproduzia a capa do livro: um relógio invertido e o título que Deus não olha para o relógio. No final de cada dia, todos os jovens nos diziam com tristeza que as pessoas lançavam um olhar precipitado ao título e diante da palavra Deus parou de sorrir, balançou a cabeça, recusou-se a pegar o folheto, quando ele não comentou com com raiva ou sarcasmo: "Eu não ligo." Eu mesmo tive essa experiência por uma tarde e à noite, olhando para as horas em que vivi, senti a mesma perplexidade. Uma dor que ainda me acompanha, porque experimentei que o Criador da vida, o Senhor da história, meu Pai foi exilado de seus filhos, removido da terra que havia preparado para eles. Nos anos 70, cantamos "Deus está morto", pensando nos campos da morte, no holocausto e nas grandes injustiças daquele trecho da história. Hoje, saciado pelo bem-estar, Deus o expulsou, exilou, exceto considerando-o com suspeita ou tentando.

O verso de um salmo ressoa em mim: “Todos vocês estão esperando que lhes dêem comida na hora certa. Você fornece, eles coletam; abre a mão, eles estão satisfeitos com os bens ”(Sl 104,27). Todo mundo está esperando por você ... Mas a maioria das pessoas, talvez até batizadas, praticantes, observadores, não esperam nada de Deus! Pelo contrário, cultiva a convicção de poder fazê-lo sozinho, de ser suficiente para si. Deus é apenas um obstáculo.

Se você conheceu o dom de Deus e quem é quem lhe diz, me dê uma bebida! - Jesus responde à mulher samaritana - você teria perguntado a ele e ele teria lhe dado água viva "(Jo 4:10). Eu estava pensando sobre isso enquanto as pessoas corriam na minha frente, recusando não a mim ou a um livro da Sermig - eu posso entender essa recusa - mas a própria idéia de Deus.Eu continuava me dizendo que Jesus veio para cada uma dessas pessoas, amando antes de tudo. incondicional, amando mesmo sem ser correspondido. O coração pesado de alguém que conhece o amor de Deus e sabe que ele tem a responsabilidade de testemunhar isso permanece para mim. Deus é amor (1 João 4), eu conheço e lembro entre as pessoas. Amados, nós amamos.

 

Amados amamos (2/2)

Questo sito utilizza i cookies. Continuando la navigazione acconsenti al loro impiego. Clicca qui per maggiori dettagli

Ok